Feitos para o seu DNA: poder da tecnologia genética - ZEISS Vision Care Brasil

Há 20 anos, quando os jornais noticiavam o nascimento da ovelha Dolly – o primeiro mamífero a ser clonado com sucesso a partir de uma célula adulta – muitos se perguntaram: até onde a tecnologia genética poderia chegar?

O tempo passou, as pesquisas avançaram e o que antes parecia uma ciência distante ou história de ficção científica aos poucos está mudando para melhor o cotidiano das pessoas. Entre as novidades surgidas com essa onda, uma das mais inusitadas é a personalização de produtos a partir do DNA, conferindo a cada objeto uma identidade tão única quanto o código genético. É o primo da tecnologia genética.

Uma das pioneiras nessa inovação é a startup norte-americana Vinome, que oferece aos clientes a possibilidade de escolher vinhos a partir das preferências determinadas pelo DNA. Em outras palavras, um vinho específico para o seu paladar.

A partir de um teste genético e um questionário de preferências pessoais, a empresa consegue identificar os sabores mais agradáveis ao paladar dos clientes e então selecionar as bebidas. Além disso, todos os vinhos comercializados são de pequenas vinícolas californianas, o que confere um tom ainda mais exclusivo à proposta.

A genética também está transformando o design de interiores, tornando-o cada vez mais personalizado. Empresas como a norte-americana DNA11 fabricam quadros coloridos com o código genético a partir de amostras de saliva, no tamanho e cor que o cliente desejar. Uma versão moderna do tradicional retrato, a peça exclusiva é também uma nova forma de representação sobre como as pessoas veem sua natureza interior e incluem sua presença no espaço.

A genética, quem diria, também pode ser usada como ferramenta de resgate das origens, quebra de tabus e formação de identidade étnica e social. O mapeamento genético pode rastrear rotas de migração de ancestrais, composição étnica do DNA e até comparar amostras atuais com as de sítios arqueológicos, como uma forma de entender nossa própria evolução.

A melhor parte é que, o que antes estava apenas ao alcance de cientistas e grandes instituições, hoje pode ser compartilhado como uma atividade lúdica entre membros de uma família, a partir do trabalho de empresas como a Family Tree DNA. Os kits da companhia oferecem a possibilidade de rastreamento da genealogia do pai ou da mãe, origens étnicas e geográficas da família e até a descoberta de novos ramos familiares a partir de outros DNA’s.

E, na área de saúde, as aplicações da genética vão muito além do famoso teste de paternidade. Se ainda não é possível comprar medicamentos produzidos a partir da sua genética, empresas como a Geneu já oferecem cosméticos produzidos a partir de análises do DNA para oferecer os melhores cuidados com a pele.

A partir das informações sobre o estilo de vida e amostras genéticas, a companhia monta um tratamento com séruns específicos que, em conjunto com uma mudança de hábitos, prometem uma melhora efetiva nos problemas dermatológicos.

Essas são algumas das novidades desenvolvidas pela ciência e a tecnologia genética até agora. Ainda é cedo para dizer qual impacto essas e outras técnicas exercerão no mundo nos próximos 20 anos mas, se depender do sucesso desses resultados, o futuro será pra lá de interessante.

MAIS CONTEÚDOS